sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

o dia em que perdi minha virgindade

,aquela loira me fitava com dois metros de altura
e de busto
sua roupa meio cigana, seu olhar fujão
um cigarro na boca
estávamos numa barraca longe do centro da cidade
na barraca aquele cheiro de incenso
aquela aura mística, perfeita
a loira se levanta e vem delicadamente até mim
olha pra mim e diz
que virgem o quê?
outubro é escorpião porra
essas cartomantes
sem papas na língua,

Um comentário:

  1. Que poema broxante. hahahaha Muito legal a idéia! Inusitado, curti. :)

    ResponderExcluir